Jones Yasuda CEO da CCAB AGRO

MENSAGEM

DO CEO

A humanidade avança a passos largos em direção a nove bilhões de pessoas. Um bilhão delas, já nos próximos dez anos, quando seremos oito bilhões de passageiros na nave Terra. Em ritmo vertiginoso, surgem novos meios de comunicação, reconfigurando a forma de pensar, consumir e se relacionar das pessoas. A medicina, a indústria e a engenharia se desafiam diariamente para resolver os problemas que a crescente – e longeva – população impõe. Mas sobre nenhum outro setor a responsabilidade de prover a escalada da humanidade pesa tanto quanto ao agro, de onde vêm os alimentos, fibras têxteis e muitas outras matérias-primas que sustentam o rápido crescimento populacional.  Dentre todos os países, o Brasil tem a mais difícil missão a curto prazo: aumentar a produção em suas lavouras e planteis, assumindo a responsabilidade de atender, aproximadamente, 41% da demanda adicional por alimentos, tornando-se um dos mais importantes players do planeta.

A CCAB entende essa missão como um desafio do qual ela é parte, e todas as suas ações são
direcionadas neste sentido. Se, por um lado, a companhia é fornecedora de produtos de proteção de cultivos que conferem ao agricultor a segurança para uma produção eficiente e em grande escala, por outro, ela continua sendo, também, em sua essência, uma empresa de produtores rurais, o que potencializa sua capacidade de prover ao seu cliente exatamente o que ele precisa. Temos o compromisso de fortalecer o agricultor, e, consequentemente, a agricultura brasileira e a economia do país, retornando assim aos brasileiros com emprego, educação, alimento e saúde.

Hoje, pouco mais de uma década desde sua criação, a CCAB acumula grandes conquistas e traça metas ainda mais robustas. De um consórcio cooperativo de produtores do cerrado do Brasil para acesso a agroquímicos, tornou-se a maior empresa de defensivos genéricos do país e a maior aliança de cooperativas da América Latina. Em 2016, passou a integrar uma plataforma global, com a entrada do Grupo InVivo, formado, como a própria CCAB, por agricultores. No caso do InVivo, da França. Este fato nos abre possibilidades muito grandes, num momento em que o mercado de químicos agrícolas se tornou ainda mais concentrado, com as recentes fusões e aquisições das grandes multinacionais.

Em 2018, já representando 55 mil agricultores no país, expandimos a nossa atuação com a criação da Cropline, uma plataforma que permite o acesso de não-acionistas aos produtos CCAB. Tornamo-nos uma empresa de alcance nacional, e almejamos com isso ser também um vetor de inovação; uma porta para a entrada de novos players em um cenário tão restrito. Isso significa alternativa para o produtor rural, grupo do qual fazemos parte e, como tal e pelo qual, lutamos na defesa dos seus interesses, especialmente, para colocar o Brasil em paridade tecnológica com os países que nos fazem frente, o que só se faz com modernização e desburocratização dos processos para introduzir novas moléculas no mercado. E sem novas tecnologias, que nos permitam produzir mais, nos mesmos espaços e com o menor impacto ambiental, não se pode assegurar a prosperidade de uma população mundial de nove bilhões de pessoas.

Jones Yasuda